O Azeite Toscano na Dieta Mediterrânea

Muito se fala hoje sobre a dieta mediterrânea, sobre a longevidade do povo que vive ao longo deste maravilhoso e azul mar. Li muitas vezes que esta é a melhor dieta para o coração e eu tenho convicção que é a dieta que faz as pessoas mais felizes. Segundo a associação portuguesa de nutricionistas, “a Dieta Mediterrânea é caracterizada pela abundância de alimentos de origem vegetal, como o pão, hortaliças, legumes, fruta fresca e frutos oleaginosos; utilização do azeite como principal fonte de gordura; consumo moderado de pescado, aves, lacticínios e ovos; consumo de pequenas quantidades de carnes vermelhas e ingestão moderada de vinho, geralmente durante as refeições.”

Italian food ingredients on wooden background

Eu, como boa filha de portugueses que sou, sempre tive o hábito de comer tudo com azeite e tomar uma taça (ou duas… rs…) de vinho tinto nas refeições. Lembro sempre de meu pai à mesa, com uma tábua de pão de casca dura (que chamamos aqui de pão italiano, mas deveria ser pão português mesmo), um pouco de algum embutido que poderia ser uma linguiça defumada ou um salame, queijos diversos, e a garrafa de azeite sempre lá, para acompanhar todas as refeições ou as simples beliscadas ao longo do dia.

Este hábito está na mesa dos Espanhóis, Franceses, Gregos e claro, também dos Italianos. A produção do azeite na Itália é feita tradicionalmente, mas não exclusivamente, na Toscana e remonta a tempos antigos, com documentação de sua produção ainda no Século VII. Temos azeites de outras regiões, mas o Toscano é o mais querido do país. Como é um alimento básico na dieta mediterrânea, ocupando o primeiro lugar entre as gorduras naturais utilizadas, muitas vezes é considerado o principal ingrediente desta dieta. É um elemento saudável e saboroso, especialmente quando usado cru.

O sabor do azeite, ou simplesmente o “olio” em italiano, depende do tipo de azeitona usada na sua produção. Na toscana temos quase 80 tipos de azeitonas originais da região. Normalmente se utiliza mais de um tipo para fazer o azeite e esta mistura é que garante o equilíbrio do produto. O azeito toscano também é um produto que tem a Indicação Geográfica Protegida (IGP)

A colheita da Oliva, a nossa azeitona, é um dos eventos mais tradicionais de novembro em toda a Toscana. Depois de colhidas, as azeitonas são selecionadas, armazenadas e depois passam pelo processo de prensa a frio. São processos artesanais, manuais e que devem produzir rapidamente o Olio Nuovo. O azeite produzido e vendido nos meses de colheita, entre Novembro, Dezembro e Janeiro, é aguardado ansiosamente pelos italianos e é uma verdadeira comemoração quando ele começa a chegar às prateleiras das lojas. Me lembro de estar em Siena no ano passado na época em que o Olio Nuovo chegou aos pequenos mercados locais, e o que eu mais admirava eram as vitrines de latas e garrafas verdinhas empilhadas.

Jpeg

O azeite, quanto mais novo for, melhor é. Ao contrário do vinho, que amadurece e neste processo de envelhecimento acentua suas características de paladar e olfato específicas, com o tempo o azeite perde suas melhores características sensoriais. Não se engane, de você estiver por lá e quiser comprar uma destas latinhas de “olio nuovo” preste atenção às suas características: ele é esverdeado e turvo, enquanto o “azeite velho” é amarelado e mais transparente.

Então, minha sugestão é adicionarmos azeites de boa qualidade em nossos hábitos alimentares, e agregar cada vez mais os ingredientes da dieta mediterrânea às nossas vidas.

Buon appetito!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s