Infiorata di Genzano di Roma

Infiorata é uma tradição italiana maravilhosa, na qual as pessoas fazem tapetes de flores na época das festividades católicas do Corpus Christi. Muitas cidades por aqui decoram suas ruas com flores, criando belas obras de arte, inspiradas em obras religiosas, e com muitos desenhos florais e gométricos, dos mais simples aos mais sofisticados.

Acredita-se que a arte de criar mosaicos em flores pelas ruas tenha começado em Roma em 1625, quando Benedetto Drei e seu filho, que eram os “floristas” oficias do Vaticano, usaram pétalas de flores ​​para decorar a Basílica Vaticana nos dias dos padroeiros de Roma, São Pedro e de São Paulo. Alguns anos depois, em 1633, fez-se no mesmo local outra pintura floral foi feita por Stefano Speranza, um colaborador próximo de Bernini. Reza a lenda que, morto Benedetto Drei, foi o próprio Bernini quem o sucedeu nesta “árdua” tarefa, e que a partir de Roma esta arte tornou-se popular.

Esta tradição barroca de decorações com tapetes florais foi adotada prontamente, já no século XVII nos Castelli Romani, provavelmente devido aos laços estreitos que estas cidades tinham com Gian Lorenzo Bernini, o principal arquiteto das festas barrocas. Em Roma, o costume das decorações florais foi desaparecendo a partir do final deste mesmo século, mas nos Castelli Romani a tradição permaneceu.

Infiorata 01.jpg

Uma das mais conhecidas, famosa mesmo, é a Infiorata da cidade de Genzano di Roma. Genzano faz parte da região dos Castelli Romani, que já explicamos aqui o que são, e é uma pequena cidade medieval que está localizada poucos quilômetros ao sul da capital italiana. Sua maior característica é o gigantesco tapete feito de flores que cobre o percurso da procissão religiosa pela Via Italo Belardi até a Igreja de Santa Maria della Cima. A produção dos desenhos e a montagem com as pétalas são feitas na noite anterior. Quando tudo acaba, as crianças correm sobre os tapetes, encerrando a festa com muita alegria.

Infiorata 02

Em Roma a tradição retorna para onde teve sua origem. No dia 29 de junho que é feriado, a cidade homenageia seus padroeiros São Pedro e São Paulo. No Vaticano, a Infiorata ocupa toda a Via della Conciliazione com seus maravilhosos tapetes com mosaicos de flores e tem a Basílica de São Pedro como cenário de fundo (ai… que cenário lindo…), uma das mais belas fotografias da cidade. Ficamos muito felizes que esta tradição tenha retornado à cidade.

infiorata

A história está ótima… Mas… E para comer? 🙂

O renomado pão caseiro, il pane casareccio, que foi o primeiro pão da Europa a obter a marca IGP (Indicazione Geografica Protetta), é o orgulho de Genzano, Além dele, temos uma grande variedade de deliciosos doces “de forno” ou das pasticerias locais, como tozzetti, bussolani, ciambelleal al vino e all’olio, biscotti all’uovo, biscotti “brutti e buoni” (algo como biscoitos feios e bons) e crostate. Mas hoje vamos falar do pão!

São quinhentos anos de história e tradição, desde a sua criação como um presente nobre e especial para príncipes, nos antigos festivais populares. Quando o príncipe Cesarini Sforza, ofereceu esta iguaria já tão amada por todos, como presente ao Papa lá no século XVII, estes pães caseiros ainda eram cozidos nos “socce”, fogões por excelência destinados especialmente a cozinhar este pão.

Pane di Genzano

Pode ter a forma arredondada ou de um filão, com o miolo macio na cor de marfim envolvido por uma fina crosta escura e crocante, com o cheiro de trigo que permanece por tanto tempo no ar. Desde a primeira mordida, este contraste entre a crosta e o interior macio é incrivelmente harmonioso.

Este pão especial é produzido com pouquíssimos ingredientes: farinha de trigo mole, água, fermento natural e sal. O seu sabor se deve à qualidade dos ingredientes básicos usados, como temos dito incansavelmente por aqui, em particular aos cereais, à água e, segundo os habitantes locais, ao ar da cidade que o produz (Não é lindo? Esses italianos…rs)… Um dos muitos segredos é assar a massa após duas fermentações em forno quentíssimo, a uma temperatura entre 300 ° e 320 ° C, o que dá ao pão uma crosta de pelo menos 3 mm (exatos!).

Pane di Genzano 2

Embora séculos se passaram desde suas origens, você pode saborear o sabor autêntico deste pão até hoje, entrando em alguns panifícios históricos em Genzano, que continuam a usar os antigos fornos do século XVII. Assim, a tradição antiga é zelosamente guardada e levada à frente.

Buon appetito!!

 

Ah… as fotos deste post são da wikipedia e do site visitlazio.com

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s